fbpx

Aplicativos de mensagens instantâneas, como o WhatsApp, têm transformado a comunicação entre as pessoas. Eles permitem o envio de mensagens, áudios, imagens, vídeos e até ligações a qualquer momento de forma prática, rápida e dinâmica, bastando ter sinal de internet.

Com isso, muitos pacientes se sentem à vontade para enviar mensagens a seus médicos, acreditando que terão uma resposta mais rápida e sem o custo de uma consulta presencial, além de poder saber se o profissional ficou online e visualizou o conteúdo enviado. Esse tipo de situação pode ser invasivo e, se for insistente, atrapalhar a rotina de atendimentos. Para evitá-la, o profissional deve informar ao paciente na primeira consulta e na recepção do consultório se faz o uso desse tipo de comunicação, em que situações, por exemplo, envio de exames e descrição de sintomas, e em quais horários.

Confira algumas regras determinadas pelo CFM (Conselho Federal de Medicina):

  • Consultas, diagnóstico ou prescrições por qualquer meio de comunicação são proibidas, por entender que a consulta física é insubstituível;
  • É possível orientar por telefone apenas pacientes que já tenham passado por atendimento presencial com o profissional, e somente para esclarecer dúvidas em relação a um medicamento prescrito, por exemplo;
  • Por ausência de regulamentação, é proibido cobrar por consultas feitas através desses aplicativos;
  • Imagens e vídeos não devem ser enviados por meios de comunicação e isso deve ser informado ao paciente no primeiro momento;
  • Em caso de ausência de resposta a mensagens enviadas pelos aplicativos de mensagens instantâneas, o profissional não se responsabiliza por evoluções e agravamentos do quadro do paciente, tenha ou não autorizado o uso do serviço, bem como tenha ou não lido a mensagem, pois o mesmo não se destina a realização de atendimentos médicos completos, e sim meras demandas acessórias, devendo o paciente em caso de urgência e emergência dirigir-se a instituições hospitalares e afins.

No caso de clínicas, o WhatsApp pode ser bem eficiente na marcação e na confirmação de consultas e exames, poupando tempo e proporcionando um atendimento mais dinâmico. Além disso, o aplicativo gera um histórico da conversa, evitando mal-entendidos e fornecendo informações à mão.

Aqui vão algumas dicas para você adotar o WhastApp na sua clínica:

  1. Tenha um smartphone apenas para o uso da clínica;
  2. Crie modelos de mensagens para agilizar a comunicação;
  3. Por segurança, não apague as conversas;
  4. Pergunte ao paciente se ele permite o envio de mensagens através do aplicativo;
  5. Evite bombardear seus pacientes com mensagens desnecessárias;
  6. Utilize o WhatsApp web, ou seja, o aplicativo através do computador para agilizar o atendimento.

Experimente em sua clínica ou consultório e conte-nos o resultado!

Você ainda pode agilizar a rotina das atividades da sua clínica ou do seu consultório aderindo a um sistema de gestão. Agende uma demonstração do Visual ASA, desenvolvido pela equipe Tecnoarte, e conheça todas as possibilidades.

 


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *