4003-9039 ou

Entre em contato com a nossa equipe comercial pelo telefone 4003-9039 ou

A preocupação com a preservação do meio ambiente tem feito com que inúmeras instituições de diversas áreas adotem medidas de sustentabilidade no mundo todo. O enorme consumo de energia e a grande produção de resíduos de hospitais, clínicas e consultórios tornam obrigatória a implementação nesse tipo de instituição.

Confira alguns dos benefícios da sustentabilidade para a sua clínica:
  • Cumpre a legislação, evitando problemas com a Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária;
  • Reduz os custos com materiais, tornando o orçamento mais eficiente;
  • Preserva a saúde dos membros da equipe, proporcionando postos de trabalho mais seguros;
  • Preserva o meio ambiente, evitando o descarte incorreto;
  • Proporciona uma visão mais cuidadosa e confiante para os pacientes.
Saiba como tornar a sua clínica sustentável

Selecionamos quatro dicas básicas e efetivas para transformar a sua clínica em uma instituição de saúde sustentável, preservando a saúde pública, do meio ambiente, dos pacientes e da sua equipe, confira:

Redução do uso de papéis

Com o avanço da tecnologia e a informatização de clínicas e consultórios, a utilização de papéis para prontuários, receitas, agendas e outros documentos ficou no século passado. A redução do uso de papel através da utilização de prontuários eletrônicos e softwares médicos, além de modernizar a instituição também contribui para a preservação do meio ambiente, visto que há uma grande retirada de árvores e o não reflorestamento, além do descarte incorreto que inviabiliza a reciclagem.

Descarte de resíduos

Instituições de saúde são algumas das principais produtoras de resíduos, logo, promover o descarte correto é FUNDAMENTAL.

Com o intuito de gerenciar corretamente esses materiais, a Anvisa e o Conama – Conselho Nacional do Meio Ambiente obrigam por lei que todo serviço de saúde tenha um PGRSS – Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde.

[RDC nº 306/2004 da Anvisa e Resolução nº 358/2005 do Conama]

Lâminas cirúrgicas, agulhas e outros objetos cortantes devem ser sinalizados e descartados separadamente de outros tipos de resíduos.

Resíduos infecciosos devem ser colocados em recipientes próprios com especificações exatas sobre como lidar com esse material e identificados de forma visível com o símbolo de risco na parte frontal.

Materiais farmacêuticos devem ser devolvidos aos seus fabricantes, que são os responsáveis pela correta destinação final.

Materiais radioativos dispõem de regulamentação própria do CNEN – Comissão Nacional de Energia Nuclear. É importante ressaltar que os hospitais são os responsáveis por sua destinação final.

Condições de trabalho

Quando se trata de resíduos em qualquer tipo de instituição é importante lembrar dos malefícios que eles podem causar à saúde dos funcionários caso não sejam manejados de forma correta. Ter o controle da exposição de luz em equipamentos que impedem o ofuscamento e assegurar que a emissão de odores aconteça em áreas afastadas dos postos de trabalho são dois fortes exemplos.

Produtos biodegradáveis

Um dos principais cuidados em ambientes que prestam serviços de saúde é a limpeza. A utilização de produtos biodegradáveis é uma escolha que além de diminuir o acúmulo de resíduos tóxicos no meio ambiente, permite a redução de custos, pois são produtos que costumam render mais e limpar de forma mais efetiva, e têm menor possibilidade de causar lesões e alergias na pele de quem os manuseia.

Agora que você já sabe os primeiros passos para tornar a sua clínica sustentável, que tal começar agora?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *