fbpx
A Black Week Conclínica está chegando: Dias 25, 26, 27, 28 e 29 de novembro A Black Week vem aí!

Se você está para se formar ou acabou de terminar a faculdade de fisioterapia, deve estar se perguntando como será a sua jornada profissional a partir de agora. Se vale a pena abrir o próprio consultório ou se é melhor trabalhar em uma clínica. Neste artigo, iremos lhe mostrar as vantagens e desvantagens de cada uma das opções, para que você possa decidir com mais clareza. Acompanhe!

 

Eu me formei em fisioterapia. E agora?


As principais reclamações de recém-formados na área são:

  • Má remuneração;
  • Arrependimento da área de atuação escolhida;
  • Mercado saturado.

Fisioterapeuta cuidando do paciente


Qual área da fisioterapia devo escolher?

 

É comum os profissionais saírem da faculdade sem ainda saber qual especialidade querem seguir. Essa resposta é muito importante para definir se a melhor escolha é abrir ou não o próprio consultório. Para te ajudar, separamos algumas perguntas. Reflita e anote suas respostas:

 

  • Durante o meu curso, quais matérias eu mais gostei?
  • Quais especialidades da fisioterapia mais me chamam a atenção?
  • Em que locais (consultório, clínica, hospital) e de que formas posso trabalhar em cada uma dessas especialidades?
  • Essas especialidades têm mais oportunidades em que cidades?

 

Qual é o seu perfil profissional?

 

Este é o momento de analisar seus estágios e empregos até aqui. O que mais te incomodava nessas oportunidades?

 

  • Rotina monótona;
  • Falta de reconhecimento;
  • Ausência de oportunidades de crescimento;
  • Ouvir desaforo de superiores;
  • Baixa remuneração;
  • Muita cobrança.

 

Essas reclamações são comuns a diversas áreas. Isso não significa que trabalhar para uma clínica agrupe todos esses pontos ou que ser ‘funcionário’ só tenha o lado ruim.

 

Trabalhar em uma clínica é bom porque:

 

  • Sensação de estabilidade ao receber o mesmo valor de pagamento em uma data específica;
  • Ter rotina e horários definidos;
  • Zero preocupação com detalhes financeiros da clínica;
  • Não levar trabalho para casa;
  • Mais tempo para descansar;
  • Não precisa gerir pessoas.

 

Hoje, a remuneração de fisioterapeutas nas clínicas é feita de duas formas. Através de porcentagem:

a clínica fica com um pouco mais de 50% por oferecer o local, os equipamentos e de certa forma ser o meio de divulgação do seu trabalho. Ou com carteira assinada: você recebe um salário fixo todo mês. De acordo com a sua carga horária na clínica, é possível trabalhar em outras e até realizar plantões em hospitais, melhorando seus ganhos financeiros.

Em suas oportunidades em clínica, tente aprender ao máximo com colegas de trabalho mais experientes e some forças. Seja qual for o tamanho da clínica, desafios existirão. Seja esforçado em qualquer situação. O seu atendimento sempre falará por você e até pelos locais que você trabalha. Então, dê o seu melhor.

Fisioterapeuta avaliando paciente

Agora vamos analisar o outro lado.

 

Para ser dono de uma clínica ou consultório é preciso:

 

  • Ter perfil empreendedor;
  • Entender o mercado;
  • Ter iniciativa;
  • Estar atento às necessidades e avanços do mercado;
  • Saber lidar com pessoas e com todo tipo de problema;
  • Pensar nos pacientes;
  • Motivar os funcionários;
  • Reconhecer suas fraquezas.

 

Quando o consultório começar a fazer sucesso e você já não conseguir atender a demanda sozinho, será necessário buscar outros profissionais, alugar/comprar outra sala ou até mesmo abrir a sua própria clínica de fisioterapia. Para isso, será necessário estudar áreas como administração e/ou contratar um profissional da área para lhe ajudar a gerir o projeto, traçar metas, realizar o estudo de geomarketing, analisar os riscos. Separamos algumas perguntas fundamentais para iniciar esse processo, confira:

 

  • O público da minha cidade/meu bairro precisa dos meus serviços?
  • Tem condições de pagar por eles?
  • Por que tem poucos profissionais oferecendo essa especialidade?
  • Por que clínicas ou consultórios costumam fechar nessa área?

 

É possível ser dono de uma clínica e trabalhar em outra ao mesmo tempo?

 

Sim. Em algumas profissões isso é muito comum. Esse acúmulo na área de saúde acontece através de concursos públicos, plantões ou até mesmo com o profissional atuando na sua ou em outra especialidade em instituições.

Conclusão

Pesquise bastante e converse com profissionais donos de clínicas e consultórios, empregados de instituições de todos os tamanhos, para ter uma visão ampla dos cenários. Ter o seu próprio negócio ou ser funcionário, ambos têm seus desafios, benefícios e desvantagens. Basta analisar qual se encaixa melhor com o seu perfil ou momento de vida. Pense também nas especialidades que mais combinam com você, não pare de estudar e atualize-se sempre que possível. 

Última dica: seja qual for a sua escolha, é preciso ter em mente que um consultório ou clínica informatizado atrai mais atendimentos e, consequentemente, mais ganhos financeiros. Se você tem o seu próprio ou compartilha um consultório, existem sistemas de gestão como o Conclínica, que oferecem diferentes tipos de planos, com valores que cabem no orçamento e ferramentas, como agenda seriada, prontuário e envio de SMS, que vão tornar o dia a dia mais ágil. Conheça gratuitamente.

 

 


0 comentário

Deixe uma resposta

placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *