fbpx

Quando chega esse período do ano, mais especificamente o mês de abril, muitos médicos se desanimam ao lembrar do temido Imposto de Renda. Muitas dúvidas surgem na cabeça desses profissionais e é por isso que nesse artigo te daremos algumas orientações sobre essa questão.

O Imposto de Renda para médicos tem algumas especificações, por isso, é preciso ficar atento ao prazo de entrega da Declaração. O prazo foi iniciado no dia 07 de março de 2019 e se encerra no dia 30 de abril de 2019 à meia noite.

Atenção: Se o prazo for excedido ou não houver a entrega da Declaração, há uma multa com valor inicial de R$ 165,74, podendo chegar a 20% do imposto total.

É ideal que você já tenha começado a reunir os documentos necessários, pois a chance de ocorrer imprevistos com eles diminui. Contate o quanto antes, para pegar os comprovantes de pagamento e recebimento, os planos de saúde, patrão, empresa, cooperativas, contabilidade e órgãos públicos. Além do mais, a antecipação dos documentos e a entrega dos mesmos também antecipará uma possível restituição, se houver. Quem entrega primeiro, recebe primeiro! Essa restituição deve ser paga a partir de junho desse ano até dezembro.

Na declaração dos profissionais da saúde, devem ser preenchidas algumas fichas. Na primeira pede-se para colocar o código da natureza da ocupação, sendo:

  • 11 para profissional liberal ou autônomo;
  • 12 para dono de firma individual ou de empresa.

Após o preenchimento dessa, aparece o campo “ Ocupação Principal”, no qual deve-se escolher entre os códigos:

  • 225 para médicos
  • 226 para dentistas

Ainda há o campo do Registro Profissional, obrigatório para todos os profissionais da área da saúde.

Especificidades do Imposto de Renda médico:

  • CPF dos pacientes: o médico particular deve informar o CPF de cada um dos seus pacientes, pois ele pode ter aparecido como “despesas médicas” na declaração deles. É importante ficar atendo aos dados informados, pois a não compatibilidade das informações pode gerar complicações.
  • Plantões médicos: sim, eles precisam entrar na declaração do imposto! Os plantões aparecem como um tipo de remuneração e, por isso, deve-se ter o documento correto do pagador.
  • Dependentes: é necessário inserir o CPF da pessoa dependente e que os rendimentos dela se juntem aos seus, senão, há risco de um pagamento superior de imposto.
  • Bolsa Residência: elas são isentas na declaração do Imposto de Renda. Os médicos residentes, recebedores de bolsa estudo e pesquisa, devem informar na parte de “Recebimentos Isentos” tal condição.

Documentos:

São muitos os que se devem reunir. Aqui lembraremos alguns:

  • Cópia da última Declaração entregue;
  • Registros de rendimento de bancos, salário, aposentadoria, pró-labore e outros;
  • Recibos das despesas com saúde, instituição de ensino;
  • Compra e venda de ações;
  • Recibo da previdência privada;
  • Aluguéis pagos e recebidos;
  • Compra e venda de bens do ano anterior, prestações;
  • Documentos dos dependentes;
  • Entre outros.

Os Informes de Rendimentos deveriam ter sido entregues pelas fontes pagadoras até dia 28 de fevereiro, mas esses são cumpridos até a primeira semana de março. Caso o médico não tenha recebido seus informes, a Receita Federal pede que solicite tais documentos aos bancos respectivos e as instituições pagadoras.

Enfim, é importante estar por dentro das atualizações e se antecipar quanto aos documentos, qualquer descuido pode te deixar cair na malha fina.

No site da Receita Federal é oferecido um simulador de impostos, no qual você pode ter noção do quanto deve pagar ou ser restituído.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *