fbpx
Você já ouviu falar em blockchain?

O termo não é tão popular, então vamos tentar o seguinte: você já ouviu falar em Bitcoin? Nomes populares ultimamente, os dois estão intimamente ligados: Blockchain é uma tecnologia que permite a criação de criptomoedas como o Bitcoin.

E como isso se relaciona com a saúde? A tecnologia do Blockchain pode ser integrada a softwares de saúde e revolucionar a forma como são guardadas informações médicas na rede.

O que é Blockchain?

O Blockchain funciona como uma espécie de livro de registros. Essa tecnologia permite a validação, certificação e registro de todas as transações efetuadas, de maneira imutável e inviolável.

No caso do Bitcoin, por exemplo, todas as negociações entre usuários são registradas eternamente no blockchain. Esses registros são salvos em uma rede P2P descentralizada, ou seja, não existe um servidor que centralize as informações, cada usuário é em si um servidor, um “nó” da rede. Cada vez que alguma transação é registrada, todos os nós são atualizados.

Como integrá-lo à Saúde?

A tecnologia do Blockchain não se restringe às transações econômicas. Desde 2009 que idealiza-se a utilização dessa tecnologia para outros tipos de transações, mas somente nos últimos meses foram desenvolvidos pilotos reais da aplicação do blockchain na saúde.

Um dos principais entusiastas é o próprio governo americano, que, através da Coordenação Nacional de Saúde, publicou uma proposta de modelo de blockchain público para saúde. Também lançou um desafio em que premiou as 15 melhores ideias que utilizassem a tecnologia para desenvolver soluções para transações de saúde.

Utilidade na prática

Dezenas de empresas e startups lançaram ferramentas utilizando Blockchain nos últimos anos. A SimplyVital Health, por exemplo, tem uma plataforma online que permite a auditoria e consulta de todas as interações realizadas entre médico e paciente. Healthcoin, Gem Health, BRON.TECH, Guardtime, PokitDok, HealthCombix, PointNurese e Blockchain in Health Co. são algumas das ferramentas que utilizam a tecnologia.

Para muitos, o Blockchain resolve os três grandes problemas atuais da informática em saúde: a fragmentação das informações clínicas em diferentes sistemas; a dificuldade de integrar esses diferentes sistemas; e por fim o empoderamento do paciente, uma vez que o controle sobre os dados de saúde passam a ser acessados por ele.

Conclusão

A tecnologia do Blockchain ainda está em fase de desenvolvimento, apesar de já ter alguns anos de vida. Para o campo da saúde, as iniciativas ainda são preliminares, mas demonstram possibilidades de crescimento que deixam os desenvolvedores otimistas.

Talvez não seja pra hoje nem amanhã, mas é importante manter-se informado sobre essa tecnologia, pois ela tem ganhado espaço e ainda pretende crescer bastante.

 

Referências: Academia Médica
9 things to know about blockchain in healthcare
8 blockchain healthcare startups to know


mm

Ieda Ferreira

Publicitária, redatora, apaixonada por romances e dias de sol. Descobriu na dança uma terapia e, ao ir ao cinema sozinha, a maravilha que é estar em sua própria companhia.

0 comentário

Deixe uma resposta

placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *