fbpx

A quarentena imposta pelo coronavírus obrigou todos a sermos criativos para continuar a executar nossos trabalhos da melhor forma. Em especial os médicos que, embora não queiram expor as pessoas ao risco da infecção, precisam continuar o atendimento àqueles que necessitam.

Mas como fazer para manter um bom relacionamento e acompanhamento das necessidades desses pacientes? Verificar rapidamente como eles estão, o que precisam, se a prescrição receitada está surtindo o efeito esperado ou, simplesmente, saber do seu bem estar.

Graças à tecnologia e aos avanços da internet, oferecendo variados canais, agora é  possível para o médico executar essas tarefas garantindo o cuidado necessário ao paciente e principalmente, garantindo que ele, principalmente aqueles que fazem parte do grupo de risco, não corra riscos de contrair a doença.

Quer saber como você pode melhorar a relação médico-paciente mostrando toda a sua dedicação e cuidado? Continue lendo que daremos ótimas dicas.

Telemedicina em tempos de Coronavírus

O uso da telemedicina vem sendo cada vez mais difundido na comunidade médica. Mesmo não sendo o mesmo que tocar e examinar devidamente, em tempos de quarentena, ela permite que o médico possa executar o melhor atendimento da forma mais segura. 

Atualmente, o governo e o Ministério da Saúde permitem seu uso para consultas médicas, entendendo o momento atual em que todos estamos inseridos e visando preservar ao máximo a população.

E a atenção do médico não deve se voltar apenas para os que estão no grupo de risco, mas também para evitar que pessoas saudáveis saiam às ruas. Em especial grávidas que, embora não façam parte do grupo, devem ter cuidados redobrados durante este período. 

A telemedicina também torna o atendimento médico mais democrático. Levando informação e atendimento básico para pacientes que não podem chegar às capitais com tanta facilidade, tornando o uso da tecnologia ainda mais relevante hoje em dia.

Dentre outros benefícios podemos citar:

  1. Ela é interativa e em tempo real
  2. Reduz as internações nos hospitais (para casos em que permanecer em casa seja uma opção);
  3. É mais eficaz para oferecer medicina preventiva no caso de uma doença crônica do paciente.

Listamos como o uso de outras tecnologias na medicina podem ajudar no seu dia a dia.

Quais ferramentas devo utilizar?

Graças aos avanços tecnológicos e com os smartphones na palma da mão, hoje o médico dispõe de várias ferramentas acessíveis e simples de serem usadas. E, principalmente, que já fazem parte do cotidiano dos pacientes.

Whatsapp

Quem não usa o Whatsapp hoje em dia, não é? E em tempos de quarentena seu uso pode ser mais que essencial para que o paciente possa recorrer ao médico com suas dúvidas ou apenas para um acompanhamento de rotina.

Usando do chat e das chamadas de vídeo do aplicativo o paciente pode, em tempo real, relatar ao médico tudo que está acontecendo, e este pode direcioná-lo para o melhor tratamento. 

E que tal umas dicas para você fazer melhor uso do whatsapp nesse período?

  • Tranquilize o seu paciente, evitando que ele se assuste com possíveis fake news;
  • O Ministério da Saúde criou um canal especial para todos, basta adicionar o telefone (61) 9938-0031 e enviar “oi” e você receberá informações de todos os tipos;
  • Use do aplicativo para tirar dúvidas à respeito do tratamento dos pacientes;

Listamos outras dicas sobre o uso do whatsapp no atendimento médico que vão ajudar no futuro.

Redes Sociais

Hoje todo mundo tem o seu perfil em alguma rede social, não é verdade? Por isso mesmo, em tempos de quarentena, redes como o Facebook e o Instagram se tornaram meios ideais de realizar atendimentos e estar o mais próximo, que a circunstância permite, do paciente.

Com as redes sociais, você pode

  • criar conteúdo que informa a todos sobre as melhores maneiras para se prevenir durante o período de isolamento. E dentro da sua área de atuação, dar dicas que podem ajudar os que precisam.
  • Com utilização do chat e de chamadas de vídeo, você pode verificar e realizar um acompanhamento no bem-estar do paciente;
  • Realize Lives sobre temas pertinentes à sua área. “Como lidar com o isolamento”, por exemplo;
  • Deixe os canais abertos para tirar quaisquer dúvidas que o paciente tenha. Mostre que você está presente e se importa com o seu bem-estar.

Mas tenha o cuidado de, assim como o whatsapp, você possuir redes sociais independentes da sua vida pessoal, onde você adota um tom diferente e deixa claro de que tais canais são um suporte para as suas atividades. Pois mesmo que seja um canal de atendimento, pode ser também uma ótima forma para captar futuros clientes e fazer contatos profissionais.

Blogs

Como estamos em isolamento, a internet se tornou um dos principais canais para as pessoas se informarem sobre a situação atual e tirarem dúvidas à respeito dos sintomas da COVID-19 e outras possíveis enfermidades.

Com um blog, você pode criar conteúdo voltado para essas pessoas e ainda ser mais assertivo, criando textos e questionários onde você pode ajudar pessoas que queiram saber mais do novo coronavírus e até mesmo tirar dúvidas sobre sintomas em seu campo de atuação. 

Imagine que, você sendo um terapêuta, pode criar conteúdos ensinando maneiras das pessoas lidarem da melhor forma com o isolamento durante esse período. Além de ser uma ótima forma de captar novos clientes, você está ajudando todos que estão passando por dificuldades durante esse momento.

O importante é percebermos que esses canais precisam ser usados com responsabilidade, de acordo com as recomendações do CFM (Conselho Federal de Medicina), para não ferir a relação de confiança que você já estabeleceu com seus pacientes. Compartilhe esse conteúdo com eles em seus canais, whatsapp ou redes sociais, para que eles também saibam como agir caso precisem do seu atendimento.

O momento é difícil para todos, mas é importante mostrar aos seus pacientes que você é presente e se importa com o bem estar deles.

Esse texto ajudou você? Já tem alguma ideia de como usar essas ferramentas para trabalhar a relação médico-paciente durante esse período? Nos conte nos comentários e diga como podemos ajudar.

Categorias: Marketing Médico

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *