fbpx

A higienização clínica possui papel importante na prevenção de doenças e infecções que transitam em clínicas e consultórios, podendo afetar os pacientes e os próprios funcionários. Esse processo feito após a limpeza superficial é bastante específico e tem como objetivo a desinfecção de agentes químicos e micro-organismos vivos, como bactérias e ácaros. A sanitização ou higienização está inclusa na parte de biossegurança clínica, isto é, um conjunto de ações de controle e redução de riscos que podem comprometer a saúde humana.

Ficou interessado? Continue lendo e saiba mais sobre este método de limpeza.

É importante destacar que esse procedimento se inicia no próprio projeto de arquitetura dos estabelecimentos de saúde, de forma antecipada, tendo como pontos cruciais:

  • Aval da Vigilância Sanitária;
  • Construção de pias nas áreas de atendimento ao paciente;
  • Ventilação adequada;
  • Local exclusivo para descarte de lixo.

Como fazer a higienização?

Para realizar a higienização de forma correta, determinações rigorosas devem ser seguidas. Abaixo listaremos algumas. Acompanhe:

  • A varredura deve ser úmida para que partículas não sejam suspensas no ar;
  • A área com menor índice de contaminação deve ser a primeira a ser limpa, seguida das com maior risco;
  • A limpeza de superfícies deve ser feita em um único sentido: de cima para baixo;
  • O álcool 70 precisa ser utilizado para a limpeza de balcões e equipamentos;
  • Os materiais utilizados como baldes, vassouras e panos devem ser desinfectados com hipoclorito de sódio.

É necessário que o estabelecimento explique os procedimentos de higiene para todos os funcionários, tendo maior atenção com os auxiliares de limpeza, que irão lidar diretamente com a questão. Esses precisam receber roupas apropriadas, como aventais, luvas, máscara e equipamentos ideais para a manutenção da sua própria segurança.

Outro cuidado necessário é o registro das datas da higienização e esterilização de materiais. A datação estampada nas embalagens garante a segurança dos pacientes e aumenta a credibilidade da clínica ou do consultório.

O Ministério da Saúde precisa aprovar os produtos usados na limpeza, como desinfetantes e antissépticos, assim como os medicamentos. Além do mais, a Legislação Municipal deve ser seguida quanto à coleta do lixo, atentando para a separação dos resíduos comuns e tóxicos.

De forma geral, o cuidado com a limpeza necessita ser fiscalizado e regulado, sendo a contratação de empresas especializadas uma boa opção nesses casos, já que os funcionários já terão recebido um treinamentos prévio. As rotinas administrativas podem ser otimizadas e ajudar na higiene com a diminuição de papeis, acumuladores de poeira, utilizando um sistema de gestão online. Experimente gratuitamente o Conclínica por 15 dias e comprove clicando aqui.

 

 

 


mm

Ieda Ferreira

Publicitária, redatora, apaixonada por romances e dias de sol. Descobriu na dança uma terapia e, ao ir ao cinema sozinha, a maravilha que é estar em sua própria companhia.

0 comentário

Deixe uma resposta

placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *