fbpx

Sabia que é possível criar campanhas de marketing médico sem ultrapassar os limites éticos da profissão?

Investir em um bom relacionamento médico-paciente e compartilhar os avanços da medicina (cientificamente comprovados) nas redes sociais são algumas das formas de investir em divulgação da sua clínica ou consultório sem deixar de seguir as proibições do Conselho Federal de Medicina(CFM)

Quer saber como? Neste post você encontra algumas dicas preciosas para investir em Marketing Médico totalmente dentro da ética. Confira:

Por que investir em marketing médico

Conquistar novos pacientes, por meio de propaganda e marketing, é um grande desafio na carreira de quem é médico no Brasil.

Isso porque o CFM é muito rigoroso quanto à publicidade médica para garantir que a ética profissional não seja desrespeitada. Com isso, doutores precisam seguir regras rígidas e muito restritivas na hora da divulgação do trabalho.

O que acaba desestimulando médicos em início de carreira e até mesmo especialistas experientes que têm apenas um consultório médico ou uma pequena policlínica.

Ou seja, muitos gestores não realizam investimentos em publicidade e marketing médico só  para evitar problemas com o Conselho. E contam apenas com o bom e velho marketing boca a boca para atrair pessoas. 

Mas, para aumentar o número de atendimentos da clínica, investir em Marketing Médico faz toda a diferença. Isso porque permite conquistar novos pacientes por reforçar sua reputação como expert.

Além de proporcionar atendimento diferenciado. O que aumenta a satisfação das pessoas e as faz retornar ao seu consultório sempre que precisarem de cuidados médicos.

Marketing e publicidade não são a mesma coisa

Pouca gente sabe, mas divulgar o serviço por meio de campanhas publicitárias não é o mesmo que investir em ações de Marketing.

Segundo Kotler, autor que é considerado o pai do marketing moderno, a publicidade é: “qualquer forma, não pessoal, de apresentação ou promoção de ideias, bens ou serviços, paga por um patrocinador identificado”. Portanto anúncios online são exemplos de peças publicitárias.

Já o Marketing é definido pela American Marketing Association como: “função organizacional e um conjunto de processos que envolvem a criação, a comunicação e a entrega de valor para os clientes, bem como a administração do relacionamento com eles, de modo que beneficie a organização e seu público interessado.”. Ou seja, marketing é algo bem mais amplo que envolve pessoas e serviços, não apenas divulgação.

Quer aprender mais sobre Marketing Digital? Baixe o e-book Práticas de Marketing para clínicas e consultórios na nossa página de Materiais Gratuitos.

Publicidade médica: principais proibições 

  • Divulgar antes e depois de pacientes
  • Usar a obtenção de equipamentos mais avançados como diferencial competitivo para atrair mais clientes
  • Não pode divulgar que tratou pacientes famosos
  • Não pode participar de anúncios de produtos ou serviços de nenhuma marca ou empresa
  • Criar blog pessoal ou usar as redes sociais para contar cases de pacientes
  • Não pode garantir curas ou resultados
  • Substituir consultas presenciais por consultorias virtuais pelo WhatsApp, Facebook Messenger, Skype ou qualquer outra plataforma de comunicação virtual
  • Usar a imprensa, YouTube, redes sociais, blogs ou sites para fazer sensacionalismo
  • Entre muitas outras proibições em publicidade médica no Brasil

Quer saber até onde médicos podem usar a publicidade para promover seu consultório ou clínica? Confira toda as resoluções do Conselho Federal de Medicina sobre o assunto. 

Marketing médico online: como começar

  • Crie um blog da clínica: mostre novidades na área médica com base em dados e artigos científicos aceitos pela academia e até avanços científicos em tratamentos e diagnósticos. Mas, nunca como forma de promover sua clínica. Pode falar de doenças relacionadas a sua especialidade médica. Sempre com o objetivo de informar como autoridade no assunto. 
  • Crie perfis institucionais nas redes sociais: a clínica pode se conectar com pacientes e a sociedade em geral por meio das social medias. Mas, o planejamento do conteúdo precisa ser sempre focado na informação e nunca na autopromoção da organização. Divulgar os posts do blog é um bom começo. Além disso, as redes sociais servem como canais de comunicação com pacientes e internautas do ponto de vista do atendimento, não médico.
  • E-mail Marketingpara utilizar essa ferramenta é necessário que você tenha autorização prévia de todas as pessoas que irão receber suas mensagens (para não virar SPAM). Use a lista de e-mails para enviar conteúdos do blog (newsletter), relembrar consultas e até mesmo parabenizar aniversariantes.  Mas, nunca indique tratamento ou medicamentos para as pessoas por essa ferramenta porque não é ético. Além disso, invista em segmentação e personalização dos e-mails marketing. 
  • Envio de SMS automático: as mensagens de texto podem ser úteis como lembretes de consulta e até mesmo como cópia de receita médica. Mas, o médico nunca pode renovar o receituário sem avaliar o paciente presencialmente. Nem usar SMS para divulgar descontos da clínica ou recomendar tratamentos e medicamentos sem avaliação presencial. A comunicação também precisa ser o mais personalizada possível e para isso contar com uma automação específica para clínicas ajuda bastante. 
  • Contrate profissionais de Marketing e ferramentas: outra dica importante é deixar o trabalho de marketing com quem é expert no assunto. Dessa forma você poder se dedicar ao que realmente importa: seus pacientes e gestão da clínica.

 Principais métricas de marketing digital para clínicas ou consultórios

  • ROI: o retorno sobre investimento é calculado pela receita que o canal de marketing digital trouxe (blog, redes sociais, e-mail marketing, SMS, etc.) subtraindo o custo desse mesmo canal e dividindo o valor pelo custo do canal. Dessa forma você entende o quanto está gastando ou  perdendo com cada investimento em marketing digital.
  • Ticket Médio Mensal : é a receita obtida no mês dividida pelo  número de pacientes atendidos no mesmo período.
  • Taxa de Engajamento: é a média de interações dos internautas nas redes sociais ou blog. Curtidas, comentários e salvamentos de posts ou postagens dividido pelo número de seguidores. 
  • Taxa de visualização:  número de visualizações do Stories no Facebook ou Instagram dividido pela quantidade de impressões de página.

Marketing offline também pode ajudar

  • Marketing Sensorial: invista em um ambiente confortável e agradável explorando o máximo de sentidos das pessoas. Por exemplo: coloque músicas na sala de espera de acordo com a faixa etária dos seus pacientes. Aposte em aromas que gerem bem-estar e calma nas pessoas. Não deixe de oferecer imagens interessantes para elas (canal de TV, internet, revistas e livros, etc,).
  • Identidade visual da clínica: uma dica legal é incluir na decoração as cores do logotipo e todo material como receituário (digital ou de papel) etc . Dessa forma você reforça a marca institucional de maneira discreta e funcional.  

Estratégias de marketing médico para clínicas ou consultórios: conquiste mais pacientes dentro da ética 

Entenda seu consultório como um negócio na parte institucional

A maioria dos médicos não está acostumada a pensar em suas clínicas ou consultórios como um negócio em relação à administração em si. Por esse motivo acabam entendendo como gestão apenas o controle de estoques, tesouraria, faturamento, entre outras funções mais burocráticas e específicas.

Mas, para melhorar o serviço da organização como um todo é necessário ter visão de futuro para identificar onde quer chegar e qual caminho trilhar para conquistar os objetivos do negócio. 

Para  aumentar o número de pacientes (mantendo os que já têm), muitas vezes é necessário estudar o mercado e até recorrer a estratégias de marketing como a análise de SWOT que revela os pontos fortes e fracos da sua clínica, além de ameaças e oportunidades. Só para dar um exemplo de ação que faz você se tornar um gestor mais efetivo trazendo melhores resultados para sua instituição médica.

Foco no seu público-alvo

Antes de planejar ações de marketing médico, é importante conhecer bem quem são os seus pacientes e quais pessoas podem vir a ser. Para isso, é necessário estudar seu público-alvo por meio de dados para descobrir informações demográficas e comportamentais.

Dessa forma você entende melhor hábitos e dificuldades que essas pessoas possuem. E assim consegue compartilhar informações científicas sobre isso no blog da clínica para conscientizá-las sobre estilos de vida, doenças e tratamentos. E pode ainda aproveitar essas informações até mesmo para oferecer um ambiente mais agradável em sua clínica.

Ao  compreender como seus pacientes atuais e futuros pensam e suas reais necessidades como pessoas na hora de procurar um médico, é possível traçar estratégias e ações de marketing que geram mais resultados.

Em relação à produção de conteúdo, a dica é criar personas porque facilitam planejar e escrever posts que sejam relevantes para elas.

Fortaleça sua autoridade na internet

Você pode criar um blog da clínica ou consultório médico com o intuito de informar a sociedade em geral sobre avanços científicos na área de medicina, além de falar sobre doenças, sintomas, principais tratamentos, etc.

Determine uma frequência de publicação (ex: no blog Conclínica, todas às quartas você encontra um novo post, mas seu blog pode ter posts 2 vezes por semana ou a cada 15 dias – tudo depende da sua persona e da sua estratégia de Marketing Digital).

Além disso, crie um calendário de postagens para distribuir os conteúdos do seu blog médico nas redes sociais frequentemente. Dessa forma os textos irão trazer visitantes  para suas páginas.

Escreva em blogs de terceiros como convidado

Fazer parcerias estratégicas é fundamental para aumentar o número de pacientes da sua clínica e até mesmo para reforçar sua autoridade na internet junto ao seu público-alvo.

Para isso, uma dica importante é enviar conteúdo de qualidade sobre temas que você é expert para blogs dos planos de saúde que você pretende se conveniar ou já é conveniado, laboratórios, médicos de outras especialidades, entre outros.

Lembre-se sempre: a ideia é você como médico prestar informações à sociedade em relação às doenças, os principais sintomas e tratamentos existentes. Ou seja, tome cuidado para não fazer qualquer tipo de propaganda (ainda que discreta sobre seu serviço ou produtos de terceiros).

Na dúvida, antes de planejar, confira sempre o que diz as resoluções do CFM sobre uso de blogs e redes sociais e até entrevistas de médicos em jornais. Se você focar no esclarecimento à sociedade de assuntos que você domina, não terá problema nenhum com o Conselho de Medicina.

Quer aprender mais sobre Marketing Médico e outras dicas de como gerenciar melhor sua clínica ou consultório? Continue acompanhando o blog Conclínica! Toda quarta-feira tem conteúdo novo para você!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *