fbpx

A rotina do representante farmacêutico se resume em realizar visitas a clínicas médicas, farmácias e centros de distribuição apresentando e promovendo os medicamentos determinados pela sua companhia. Esse profissional esclarece as dúvidas quanto aos medicamentos, explicando sua indicação, posologia e benefícios para os pacientes. Para obter êxito em seu trabalho, ele precisa estabelecer uma relação com os médicos e, consequentemente, ganhar a credibilidade deles. No entanto, esse relacionamento pode criar inconvenientes no consultório médico, a julgar pelas visitas sem horário marcado, atrasando a agenda médica e deixando os pacientes incomodados.

Receber o representante e dar a devida atenção a ele é de extrema importância para ambas as partes, pois assim o médico pode manter-se atualizado sobre os lançamentos das empresas e suas especificações, porém é preciso respeitar a ordem dos pacientes que aguardam por seus atendimentos, sem interrupções.

Com o crescimento da indústria farmacêutica, aumentou também o número de remédios e, consequentemente, a quantidade de representantes nos consultórios divulgando os medicamentos. Nesse sentido, cabe aos médicos reconhecerem as boas intenções do profissional e a qualidade das medicações mostradas, já que elas serão recomendadas aos pacientes. Em relação à ética nesses casos, tal recomendação é considerada permitida, dentro da lei, não sendo considerada submissão do médico ao laboratório correspondente ao seu representante farmacêutico.

Há desconfianças acerca desse vínculo, como a prescrição incoerente de remédios em troca de patrocínios, pagamentos de honorários para os elogios feitos, amostras grátis, atuação em congressos, indicações etc. Todas elas são pertinentes e devem ser levadas em conta, mas é preciso avaliar os resultados após o uso para haver uma apuração.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina, após um acordo entre CFM e a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), foram estabelecidos parâmetros para disciplinar a relação entre médicos e indústrias, incluindo a transparência dessa relação, o apoio dessas empresas à organização de congressos, às ofertas de brindes, entre outros aspectos. Além disso, o Código de Ética Médica Brasileiro abordou a importância da ética para a eliminação dos conflitos.

Esse contato entre os médicos e os representantes deve ser transparente, respeitoso e sincero para que não haja desconfianças e problemas maiores para ambos.

——————

Conheça o Conclínica, um sistema de gestão de clínica online, fácil de usar e completo como deve ser. Clique aqui e experimente gratuitamente por 15 dias.

 

 

 

 


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *